Ser beneficiário

Garantia de Qualidade
A garantia da qualidade da nossa prestação de serviços é dada pelo compromisso assumido com os nossos clientes, famílias, colaboradores e entidades parceiras de que estamos empenhados com a melhoria contínua do nosso desempenho organizacional.

Anualmente os nossos clientes, famílias, colaboradores e entidades parceiras avaliam o serviço prestado e o desempenho organizacional. A opinião destas partes interessadas é fundamental para assegurar este compromisso com a qualidade.
Como Intervimos
QUALIDADE DE VIDA, o âmbito da nossa missão, é um conceito subjetivo e dificil de medir, pois varia de pessoa para pessoa.

É partindo desta constatação que definimos uma intervenção individualizada, centrada na pessoa, atendendo aos interesses, necessidades, potenciais e expetativas de cada uma das pessoas que atendemos.

Tudo o que fazemos é baseado no que realmente é importante para a pessoa (HOJE e no FUTURO!!) e tem em consideração a sua perspetiva.

Como se traduz na prática?
  • Apoiamos cada cliente a dizer o que é importante para si
  • Apoiamos cada cliente na sua tomada decisão e a ser parte ativa na definição do seu projeto de vida
  • Asseguramos que as decisões que não podem ser tomadas pelos próprios clientes têm por base os seus interesses
  • Asseguramos um envolvimento ativo da família e de outras partes interessadas no desenvolvimento do cliente
  • Asseguramos um corpo técnico experiente e multidisciplinar
  • Asseguramos empenhamento e motivação dos nossos colaboradores na perspetiva do planeamento individual
Condições de Admissão
Para cada uma das respostas sociais estão determinados os Critérios de Elegibilidade, definidos pela legislação em vigor para o efeito.

Como forma de hierarquizar as candidaturas recebidas a CERCI definiu Critérios de Admissão que priorizam as necessidades dos candidatos.

A admissão de clientes nas respostas sociais/serviços está condicionada à abertura de vaga.



Centros de atividades ocupacionais
Pessoas com deficiências e incapacidades no âmbito da missão da CERCI que:
  • - Não apresentem potencial para enquadrar uma medida de emprego vigente.
  • - Com idade igual ou superior a 18 anos que cumpram os requisitos de escolaridade obrigatória nos termos consagrados pela Lei nº 85/2009, designadamente:

a) que tenham obtido o diploma de curso conferente de nível secundário de educação ou, independentemente da obtenção do diploma de qualquer ciclo ou nível de ensino, tenham completado os 18 anos de idade;
b) que cumpram os requisitos da escolaridade obrigatória ao abrigo das disposições transitórias da Lei nº 85/2009, (tenham no mínimo 16 anos de idade desde que tenham estado matriculados no ano letivo 2009/2010 no 8º ano de escolaridade e seguintes);

A título excecional podem ser elegíveis candidatos menores de 18 anos, desde que os estabelecimentos de ensino, nos quais os mesmos se encontrem inscritos, comprovem a incapacidade para a frequência do mesmo, através dos documentos previstos pelo Decreto-Lei nº 3/2008, de 7 de janeiro, designadamente, o P.E.I. - Programa Educativo Individual, e o P.I.T. - Plano Individual de Transição.

Lar Residencial
  • Ser portador de deficiência e incapacidade, de idade igual ou superior a 16 anos;
  • Não ter familiares ou responsáveis diretos com possibilidades de prestar apoio adequado;
  • Viver só e/ou com carências socioeconómicas;
Destinatários:
Jovens e adultos com deficiência, de idade igual, ou superior a 16 anos, que se encontrem impedidos temporária ou definitivamente de residir no seu meio familiar, tem por fim promover e disponibilizar condições que contribuam para uma vida com qualidade e também deve proporcionar aos utentes a satisfação de todas as suas necessidades básicas.

Ponderações para a admissão:
  • Sem retaguarda familiar ou cujos familiares não os possam acolher, por período temporário ou definitivo; (30%)
  • Cuja família necessite deste apoio em determinadas situações, tais como doença, férias, fins-de-semana e outras, devidamente justificadas; (10%)
  • Frequentar centros de atividades ocupacionais, formação profissional ou emprego protegido; (15%)
  • Os utentes admitidos deverão ter retaguarda institucional durante o dia. (20%)
Apoios prestados de financiamento:
A tabela de comparticipações familiares é calculada segundo o disposto no REGULAMENTO DAS COMPARTICIPAÇÕES FAMILIARES DEVIDAS PELA UTILIZAÇÃO DOS SERVIÇOS E EQUIPAMENTOS SOCIAIS DAS IPSS, Anexo à Circular nº. 4/DSAS/DASCN, de 16/12/2014, da Direção Geral da Segurança Social.
A comparticipação familiar é determinada de forma proporcional ao rendimento do agregado familiar.

Documentos para a inscrição
  • Cartão de utente do Serviço Nacional de Saúde ou de subsistemas a que o utente pertença;
  • Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão do utente e do representante legal, quando necessário;
  • Cartão de beneficiário da Segurança Social do utente e do representante legal, quando necessário;
  • Comprovativo da Pensão de reforma e/ou outros rendimentos do utente (I.R.S.);
  • Comprovativo das despesas fixas anuais (despesas com a aquisição de medicamentos de uso continuado; valor da renda de casa ou amortização bancária);
  • Declaração médica referindo não sofrer de doença infecto-contagiosa ou outra que ponha em risco o bom funcionamento do serviço;
  • Boletim de vacinas e Relatório Clínico sobre a situação de saúde, a medicação e respetiva posologia e quando houver uma doença específica, a indicação dos cuidados a ter, como colocar a necessidade de dieta alimentar, ou outros cuidados considerados necessários, desde que prescritos;
  • Relatório Social, se acompanhado por técnico social de outro organismo;
  • Documento(s) identificativo(s) do restante agregado familiar, assim como a morada e contactos dos filhos, vizinhos e familiares próximos.
Número de vagas totais e de vagas livres
Número de vagas totais é de 6 e de vagas livres é 0.

Lista de espera
Caso não seja possível proceder à admissão por inexistência de vagas, o Coordenador da Resposta Social informa o utente, através de carta de que se encontra em lista de espera e a posição que o utente ocupa, no prazo de 15 dias úteis, a partir da data da inscrição.
Os critérios para a retirada da lista de espera são:
  1. anulação da inscrição por parte do utente/pessoa próxima;
  2. anulação da inscrição por não respeitar os requisitos/condições de frequência da resposta social;
  3. anulação da inscrição por em situação de existência de vaga, o utente não aceitar ingressar na resposta social.
  4. Com a periodicidade semestral é feita a atualização da lista de espera.


Residências Autónomas
  • Ser portador de deficiência e/ou outras incapacidades;
  • Ter idade igual ou superior a 18 anos;
  • Ter capacidade de, mediante apoio, viver autonomamente.


Centro de Formação Profissional
Pessoas portadoras de deficiência e/ou incapacidade num ou vários domínios de vida, com idade igual ou superior a 16 anos à data do início da formação, sem qualificação adequada para o exercício de uma profissão ou ocupação de um posto de trabalho.
Os candidatos que tenham concluído uma ação de formação qualificante (que conferiu certificação escolar e/ou profissional) podem frequentar uma segunda, da mesma tipologia, desde que entre ambas tenha decorrido um período de tempo correspondente à duração da ação frequentada.

Após verificação dos critérios de admissibilidade, são critérios de prioridade na seleção dos candidatos:
  • Situação socioeconómica do agregado/Situação de Emergência Social;
  • Situação face ao emprego (desempregados, à procura do primeiro emprego ou inativos);
  • Frequência/ Encaminhamento de outros serviços da Organização;
  • Encaminhamento pelos Parceiros Sociais/Rede Social de Suporte.
Candidaturas do Utente
Para formalizar a sua candidatura à resposta social/serviço que pretende basta preencher e enviar a Ficha de Candidatura.
Todas as informações constantes serão colocadas numa base de dados de suporte ao processo de candidatura, e exclusivamente para este efeito.
Antes de enviar a sua Ficha de Candidatura, leia por favor a nossa Política de Confidencialidade.
Nos 10 dias subsequentes ao envio deste formulário será contactado(a) pela responsável pelo processo de candidatura de clientes, para marcação de uma entrevista de avaliação inicial de requisitos.

Para qualquer informação ou esclarecimento adicional poderá contactar diretamente o responsável pelo Processo de Candidatura de Clientes através do email geral@cercivar.pt, pelo 256 579 640 ou na secretaria da Cercivar.
Grupo de Auto-Representação – “Contraposições”
Capacidade prevista de participantes: 8-10 utentes
Responsável pela dinamização das atividades: Psicóloga C.A.O.
Enquadramento:
O Grupo “CP” trata-se de um grupo de autorepresentação, constituido por utentes do Centro de Atividades Ocupacionais da Cercivar, sendo uma das componentes do sistema de participação dos utentes na vida da Instituição.
O objetivo geral deste grupo é potenciar a participação ativa dos utentes do CAO na Cercivar.
Na constituição deste grupo foram assumidos pressupostos inerentes à Auto-Representação, salvaguardando a capacidade de cada utente se expressar e tomar decisões acerca de assuntos que directa ou indiretamente o/a afectam.

No grupo ”CP” serão trabalhados aspetos como:
  • Tomada de consciência e acesso aos direitos e deveres enquanto cidadão, tais como, autonomia, privacidade, participação, confidencialidade, individualidade, dignidade, igualdade de oportunidades e não discriminação.
  • Apoio, confiança e informação a todos os elementos do grupo de forma a desenvolver as suas competências de tomada de decisão;
  • Desenvolvimento de ligações positivas, assertivas e de colaboração entre pares.
Organização do grupo: A gestão e organização do grupos passa por reuniões semanais e sempre que necessário efetuam-se reuniões alargadas com mais utentes, de forma a dar conhecimento e todos puderem estar informados.
Atividades Lúdico-Terapêuticas

Fisioterapia

Terapia Ocupacional

Terapia da Fala

Educação Física e Natação

Educação Musical

Internet